Nova Smart-Factory da Wilo

Voltar à visão geral

31.10.2019

Visão 2020 – O Campus Wilo em Dortmund

Visão 2020 – O Campus Wilo em Dortmund

Dortmund vai tornar-se na primeira localização digital. O Grupo Wilo declarou o seu contínuo compromisso com a sua sede central e a cidade de Dortmund com o maior projeto de desenvolvimento da empresa nos seus 146 anos de história. Uma área de produção do futuro. Um edifício administrativo, eficiente e sustentável. Uma nova sede – o Campus Wilo de Dortmund.

Em 1872, Dortmund destacou-se pela indústria mineira e de aço. O núcleo industrial da Vestfália. Nesse mesmo ano, o fundador da empresa, Caspar Ludwig Opländer, começou com uma oficina no centro de Dortmund. Com o início do século XXI, a empresa mudou-se para um edifício industrial maior na ainda existente Ardeystraße (antiga Hohe Straße). Então, finalmente, a Wilo mudou-se para a sua sede atual em Nortkirchenstraße. Em 2022, a Wilo irá reinventar-se devido ao seu 150º aniversário. Começando por uma área de 20 hectares de espaço para representar o que a Wilo é hoje: um dos fornecedores líder de bombas e sistemas de bombagem a nível mundial, com cerca de 7.600 funcionários em todo o mundo. O maior projeto de desenvolvimento da história da empresa. Quatro edifícios principais num terreno com o tamanho de aproximadamente 26 campos de futebol. O espaço necessário será obtido com o espaço gerado pela alienação dos edifícios existentes desde os anos sessenta. Os novos edifícios serão mais sustentáveis e mais eficientes que qualquer um dos seus antecessores. O Wiloop será o “coração” do local. O Wiloop estará conectado aos edifícios mais importantes. A smart factory irá abrigar a produção, os escritórios da administração, a casa de projetos, atendimento aos clientes e um centro para crianças e assistência médica para os funcionários, afirma Martin Linge-Boom, da Direção Corporativa de Gestão Imobiliária da Wilo. “No entanto, também está pensado como um lugar central para reuniões para utilização dos nossos funcionários”. Os edifícios irão estar ligados e serão acessíveis pela Nortkirchenstraße, que se irá transformar numa avenida, o funcional Campus-Allee. A Wilo continuará a manter o seu endereço habitual, Nortkirchenstraße 100. A nova avenida continuará acessível para os funcionários, visitantes e para os transportes públicos. O tráfego Dortmund-Hörde será redirecionado para norte, com um acesso à logística. Para uma utilização eficiente dos edifícios, a água da chuva das instalações exteriores e a água proveniente do telhado com uma superfície de 70.000m2 será recolhida e mantida em canais de armazenamento. Posteriormente, será usada para irrigação, ar condicionado ou para alimentar um riacho (Pferdebach) a sul dos edifícios por meio de um sistema de esgoto, sistemas de bombagem e depósitos de água. A água continuará a fluir para o rio Emscher e será uma ajuda à naturalização fornecendo água limpa. As superfícies do telhado também terão vegetação formando um espaço natural para a retenção de água. Estas medidas também irão gerar um efeito refrigerador natural. Os requisitos energéticos primários poderão ser cobertos numa extensão de 10.000m2. A recuperação de calor e sinergias inteligentes, assim como a monitorização e gestão integral da energia, são tudo parte do conceito de sustentabilidade da WILO SE. Fatores como a eletricidade, o aquecimento e a refrigeração serão fornecidos de forma centralizada com sistemas eficientes e uma rede de distribuição.

A Smart Factory: a sede de produção do futuro

A área de produção é a base da empresa tecnológica. Os novos postos de trabalho, mordernos e comunicativos não apenas devem ser acessíveis para os funcionários da administração, cada vez mais, o foco está a colocar-se na Smart Factory. O amplo lobby da fábrica será o ponto de partida do tour das visitas. Através do centro técnico envidraçado no centro do edifício, terá logo uma ideia de como a produção está em curso. Os visitantes poderão passar por uma passagem através da sala de produção que conecta as áreas administrativas internamente. A transparência é um componente importante do novo local de produção. “A intenção é quebrar as barreiras entre as estações de trabalho individuais e criar espaço para uma cultura de trabalho aberta”, explica Linge-Boom. “Os planificadores e chefes de produção, por exemplo, terão uma visão direta da produção a partir dos escritórios perto das áreas de produção no primeiro piso. Os funcionários da produção, no entanto, também terão contacto direto com o controlo e a planificação de materiais”. Além das áreas de escritórios, no futuro, também irão haver escritórios localizados na área de produção para assegurar que a comunicação entre a produção e a planificação de produção seja o mais direta e rápida possível. Haverão áreas destinadas à comunicação em toda a zona de produção para uma interação mais rápida entre os grupos individuais de trabalho.

A Fábrica – eficiente, sustentável, flexível, aberta

O novo espaço administrativo do fabricante de bombas irá combinar as áreas de administração fundamentais das funções do grupo. Os aspetos particulares tidos em conta na construção da Fábrica, serão a sustentabilidade dos seus edifícios e o uso do terreno de acordo com as normas de construção ecologistas do Conselho Alemão de Construção Sustentável (DGNB) e a Liderança em Energia e Design Ambiental (LEED). A parte exterior transparente irá assegurar um uso máximo da luz natural em todos os postos de trabalho. A o mesmo tempo, atenderá também a todos os requisitos de um edifício altamente eficiente, que poupa energia e recursos. A Fábrica estará dividida em espaços partilhados na base e áreas de trabalho mais tranquilas nas extremidades do edifício e nos pisos superiores. A área principal será a zona de eventos e comunicação, onde haverá a cantina e cafés, e também irá alojar o ponto de encontro central (lobby). As escadas abertas levarão ao primeiro piso com as suas áreas de reuniões e conferências, onde haverão várias opções para comunicação formal e informal, trabalho em equipa, seminários e eventos. Os espaços da Fábrica estarão situados nas duas extremidades em cada uma das áreas do andar de cima, que estarão distribuídas de forma que se crie um espaço de trabalho moderno, proporcionando ao espaço diferentes tipos de trabalho. O conceito da expressão “Wilo Future Office” será a provisão de espaços para o trabalho comunicativo em equipa, o que se irá chamar “hot desks”. Estas serão estações de trabalho que poderão ser partilhadas por vários funcionários e também elegidas como um lugar de trabalho habitual em caso de necessidade. Estes espaços serão criados no centro e nas áreas de concentração nas extremidades.

De momento, o trabalho estrutural para a Smart Factory está a ser levado a cabo na parte sul de Dortmund, paralelamente ao último trabalho de preparação do solo: “ao mesmo tempo, concluímos as licitações para a construção e outros trabalhos interiores”, afirma Holger Herchenhein, Vice-presidente Sénior do Group Quality & Qualification da Wilo. “Deste modo, estamos a começar agora com outra fase em que procuramos fornecedores de serviços e parceiros para outros trabalhos”.